Make your own free website on Tripod.com

AREA 51

A área que se localiza à 190 km ao noroeste de Las Vegas, não consta nos mapas oficiais. É uma área que possui estradas, riachos, montanhas, edifícios e uma pista de 9,5 km, mas oficialmente não existe. É como se qualquer atividade humana tivesse parado em uma área equivalente a Suíça.
O acesso a esta área é completamente proibido. Os cartazes advertem: "O uso de armas letais é autorizado". Seu espaço aéreo é o mais inviolável dos EUA. Trata-se do Polígono de Tiro e de Testes Nucleares de Nellis, conhecido como Área 51.

Tecnologia Alienígena?
Foi fundada em 1954 para ser uma base secreta onde a Lockheed Aircraft Corporation pudesse desenvolver aviões de espionagem para a CIA. A Área 51 continua sendo a sede de alguns dos projetos mais revolucionários dos EUA. Foi nesta área que o bombardeiro "stealth" Northrop B-2 foi testado, assim como uma série de outros aviões nada convencionais. A sua existência foi mantida em sigilo absoluto pelas Forças Aéreas dos EUS (USAF) até 1994, já, que se tratava da mais avançada tecnologia militar. A questão levantada por alguns pesquisadores é que nem a tecnologia nem as técnicas utilizadas são norte-americanas, e sim, alienígenas.
Desde o estabelecimento da Área 51, várias pessoas declararam ter visto objetos estranhos sobrevoando seu espaço aéreo, mas as autoridades negaram os fatos. Contudo, um de seus próprios homens declarou que no espaço aéreo da Área 51, além de circularem OVNIs, a USAF também utilizava tecnologia alienígena ativamente.
Robert "Bob" Lazar, que trabalhou 5 meses na Base a partir de dezembro de 1988, deu depoimento para a televisão em maio de 1989. Usando a identidade de "Dennis", Lazar revelou que o governo dos EUA estava pesquisando nove discos voadores e tentava adaptar a tecnologia alienígena aos seus projetos. Declarou também que ele e sua mulher receberam várias ameaças de morte.
Evitando correr mais riscos, em novembro decidiu aparecer em público. Descreveu um lugar secreto conhecido como S-4 próximo ao lago Papoose, no interior da Área 51, onde as naves alienígenas eram guardadas. Explicou que ele fazia parte de uma equipe de 22 engenheiros contratados para estudar os sistemas de propulsão dos discos voadores.

No Interior do S-4
Segundo Lazar, o S-4 era um enorme complexo subterrâneo que ocupava toda a área de uma cordilheira montanhosa. No início pensava que estava trabalhando com uma tecnologia altamente sofisticada criada pelo homem, mas quando entrou em um dos discos voadores, se convenceu de que se tratava de algo de outro mundo, porque tanto sua forma quanto suas dimensões não pareciam ter sido concebidas por humanos.
"Não possuía juntas aparentes, nenhuma solda, parafusos ou rebites, - afirmou Lazar -, as bordas de todos os elementos eram arredondadas e suaves (...), como se tivessem sido feitas com cera quente submetida a um rápido processo de resfriamento".
De acordo com o seu relato, haviam troneiras, arcos e delicados cadeiras de somente 30 cm de altura. A sua unidade de propulsão era um objeto do tamanho de uma bola de beisebol, que irradiava um campo antigravitaional através de uma coluna oca, situada verticalmente no centro da nave.
Lazar teve acesso a um memorando que confirmou suas suspeitas. Havia uma quantidade impressionante de informações sobre OVNIs, inclusive seres cinzas com grandes cabeças calvas. Afirmava-se que os alienígenas eram provenientes da galáxia Zeta Reticuli, e era citado um incidente ocorrido em 1979, no qual os alienígenas mataram vários militares e cientistas da base. Tudo isso o convenceu de que estava trabalhando "em uma nave alienígena, criada por mentes alienígenas e com materiais alienígenas".
Lazar nunca afirmou ter visto alienígenas no S-4, mas, no entanto, presenciou algo extraordinário. Andando por um corredor, viu por uma porta entreaberta, dois homens com batas brancas "olhando para baixo e falando com um ser pequeno que possuía braços compridos (...). olhei rapidamente, mas não sei o que poderia ser aquilo", disse Lazar.

Avaliando as Provas
São afirmações difíceis de se acreditar. Os relatos de Lazar seriam mais uma das muitas histórias contadas sobre alienígenas ou ele realmente nos estaria dando provas de que eles existem?
Segundo George Knapp, que entrevistou Lazar, muitas pessoas têm levantado dados que parecem comprovar as informações de Lazar. Knapp tem em seu poder a gravação em vídeo de um depoimento de uma testemunha que participava de importantes planos militares, onde afirma que as autoridades conheciam a tecnologia alienígena além de manterem alienígenas em seu poder desde a década de 50. Contudo, o vídeo não será divulgado publicamente enquanto esta testemunha esteja viva, já que todas as testemunhas preferem permanecer no anonimato por temerem as conseqüências.

Ameaças de Morte
Outro jornalista que investiga a Área 51 abandonou seu trabalho por temer as represálias. Um engenheiro eletrônico disse que havia visto um disco voador e estava disposto a fazer uma declaração em um programa de TV, desistindo da tentativa assim que percebeu que estava sendo vigiado. Outra testemunha foi ameaçada de forma direta: "Sabemos que você viaja muito e não gostaríamos que você e sua família sofressem um acidente".
Diante da câmera, Lazar se mostra frio, calmo e despretensioso. Não ostenta conhecimentos sobre assuntos que não domina e conta sempre a mesma história, o que não é comum em falsos testemunhos. Porém, existem fatos que depõem contra Lazar: não apresentou seus dois diplomas obtidos em prestigiadas universidades norte-americanas, está falido e foi condenado pela justiça por gerenciar um bordel.
Os motivos que fizeram com que Lazar deixasse o anonimato também são duvidosos. Lazar afirma que resolveu sair em público em nome da ciência e dos cidadãos de seu país. Contudo, seus desenhos da nave alienígena foram comercializados em forma de maquete e os direitos de sua história, vendidos para que servisse de roteiro de um filme.
Lazar afirma que, entre 1982 e 1984, trabalhou para a Iniciativa de Defesa Estratégica (a "guerra das galáxias) no laboratório Nacional de Los Álamos, no Novo México, fato que foi negado terminantemente pelas autoridades, que afirmaram que comprovasse tal vínculo empregatício.
Porém, durante sua investigação, os jornalista George Knapp, viu que o nome Lazar, constava na lista telefônica de Los Álamos, assim como também a sua declaração de renda parece comprovar o fato.
Desde então, vários dados foram sendo descobertos. Em 1995, uma empresa alemã distribuiu um vídeo intitulado Secrets of the Black World, no qual aparecem várias testemunhas que apresentam mais informações sobre o que acontecia na Área 51.

À Prova de Vídeo?
Norio Hayakawa, de uma emissora de TV japonesa, filmou a rápida aparição de um objeto que surgia da Área 51. Filmou uma luz resplandecente que deslizava pelo céu sobre as montanhas. Posteriormente, uma análise do filme feita por computador, levou Hayakawa à seguinte conclusão: "definitivamente o objeto não é um avião convencional".
Muitas outras gravações mostram um objeto brilhante surpreendente e executando manobras impossíveis. Um desses objetos se aproximou da equipe da NBC e seus membros ficaram com queimaduras produzidas por radioatividade. Alguns foram mais longe chegando pelo que parece, ao interior da S-4, e filmaram uma sala repleta de sarcófagos metálicos, onde são armazenados os alienígenas mortos. Infelizmente, a imagem filmada de um OVNI não é uma prova definitiva de sua existência.
Apesar de tudo, muitos acreditam que está ocorrendo algo no Deserto de Nevada. "Existem pelo menos, oito Black Programs voando pela Área 51", afirma o escritor especializado em aeronáutica Jim Goodall. Os Black Programs são projetos secretos do Governo, como o bombardeiro "stealth", e impressionantes provas de velocidade e manobras são realizadas fazendo com que muitas pessoas acreditem que se trate de discos voadores.
Goodall acredita que estas aeronaves são silenciosas e inacreditavelmente rápidas, como uma que saiu da Área 51 e foi detectada por uma radar, voando a mais de 16.000 km/h. Goodall perguntou ao presidente da Lockheed se acreditava na existência de OVNIs, este respondeu: "Sim. Estou plenamente convencido de sua existência".

Relação com o Majestic-12
Lazar afirmou que os trabalhadores da área S-4 usavam crachás com a palavra MAJ impressa. Poderia este fato ter alguma relação com Majestic-12, a equipe de cientistas criada em sigilo pelo presidente dos EUA em 1947, com a finalidade de estudar os OVNIs?